0 Menu

Pastoralia

George Saunders

14.40

pvp 16 | preço web 14.40

«Uma sátira tão mordaz quanto emotiva sobre o presente.» Isabel Lucas / Público

«Uma voz espantosamente afinada: graciosa, sombria, genuína e divertida.» Thomas Pynchon

«Desde Twain que a América não produzia um autor satírico com tanta graça.» Zadie Smith

Nos seis contos reunidos em Pastoralia (2000), publicados originariamente na New Yorker, desfila uma galeria de vidas absurdas e humilhantes em busca de redenção. Encontramo-las em parques temáticos com faxes e homens das cavernas assalariados, numa genial sátira da rotina laboral («Pastoralia»); no peculiar rescaldo de um seminário motivacional («Winky»); em bairros sociais como «Carvalho do Mar»; ou em empregos desanimadores («A Infelicidade do Barbeiro»). E seguimos o seu rasto nas glórias futuras imaginadas na infância («O Fim de FIRPO Neste Mundo») e nos trágicos dilemas da maturidade («As Cataratas»). Em Pastoralia, George Saunders revela-nos um mundo onde as distopias já se concretizaram e cujas vítimas zelam pela sua perpetuação com passiva credulidade.

Valioso cronista dos absurdos da vida moderna, George Saunders (Texas, 1958) é professor de escrita criativa na Universidade de Syracuse, em Nova Iorque, e o seu inusitado percurso de vida levou-o de Chicago e Samatra à colaboração literária com a New Yorker nos anos 90. Inspirado pelo realismo sujo de Raymond Carver e pelas proezas estilísticas de Donald Barthelme, Saunders legou-nos as premiadas colectâneas de contos CivilWarLand in Bad Decline (1996), Pastoralia (2000), In Persuasion Nation (2006) e Dez de Dezembro (Ítaca, 2016), que lhe valeram elogios de David Foster Wallace, Zadie Smith e Thomas Pynchon. Soube na perfeição, e com um humor negro e incómodo, cruzar a literatura, o poderoso caos contemporâneo e uma crítica mordaz ao capitalismo e ao consumismo.

  • Título original Pastoralia
  • Tradução e prefácio Rogério Casanova
  • Ilustração de capa Marco Mendes
  • 1.ª edição 2017
  • N.º pp.224
  • ISBN 978-972-608-284-2