0 Menu

O Vestido Vermelho

Stig Dagerman

14.40

pvp 16 | preço web 14.40

«Uma criança que se queima não teme o fogo. É atraída por ele como a borboleta pela luz. Sabe que, se se aproxima, se queima novamente. No entanto, aproxima-se.»

Escrito «na mais profunda solidão», segundo o autor,
O Vestido Vermelho (1948) é um dos mais belos e dolorosos romances de Stig Dagerman. Sob o signo da morte de uma mãe, Alma, a vida entre um pai, Knut, e um filho, Bengt, é perturbada para sempre, e as suas emoções à flor da pele, desconfianças e ódios irrompem abruptamente. Fluindo das ruas nevadas de Estocolmo para as águas que banham ilhas remotas da Suécia, o drama turva-se quando Gun desagua no seio da família, despertando um ciúme animal que devora a sua já frágil lucidez. Livro de revolta da juventude contra verdades herdadas e viagem pela dura passagem para a maturidade, O Vestido Vermelho é uma intensa reflexão sobre a pureza desfeita, como cera de vela, pelo curso ardente da vida.

Uma inquietação visceral assombrou a vida de Stig Dagerman (1923-1954), saudado precocemente como um «Rimbaud do Norte», um «Camus sueco» e um jovem prodígio das letras nórdicas. Esta insidiosa angústia assolava-o desde a sua Älvkarleby natal, onde a mãe o abandonara em tenra idade, acompanhou-o nos meios anarquistas de Estocolmo e culminaria no seu suicídio aos 31 anos. Autor de culto, escreveu em quatro anos toda a sua obra, na qual se destacam A Serpente (1945), A Ilha dos Condenados (1946), Outono Alemão (1947) e Jogos da Noite (1947). Legou-nos um exemplo de lucidez e resistência à mentira, como alicerce e esteio da acção humana, e algumas das mais belas páginas sobre a falsidade das relações e a angústia e a ira que as dominam.

  • Título original Bränt barn
  • Tradução e prefácio Irene Lisboa
  • 3.ª edição 2017
  • N.º pp. 248
  • ISBN 978-972-608-292-7