0 Menu

O Norte e Outros Contos

Evgueni Zamiatine

16.20

pvp 18 | preço web 16.20

«A verdadeira literatura só pode existir onde for criada, não por funcionários diligentes e confiáveis, mas por loucos, eremitas, sonhadores, rebeldes e cépticos.» Zamiatine

O Norte e Outros Contos reúne uma corajosa carta dirigida a Estaline e dez textos escritos entre 1912 e 1929, antes do exílio do autor em França. Num tempo de arte por decreto e de esperados elogios à Revolução Russa, o autor legava-nos linhas em tudo opostas ao almejado retrato do progresso. Num país numa encruzilhada da história, Zamiatine esmerava-se a traçar poéticos retratos de dramas humanos («Inundação»), mesclando ambientes oníricos e tradições de um povo destroçado e alheado dos seus mandantes («O Norte»), a jocosa denúncia social da burocracia («O Xis») e a inépcia dos homens nos novos papéis que a história lhes atribui («O Amparo dos Pecadores»). Nestes contos coroados por uma imaginação prodigiosa que converte cidades de utopia revolucionária em mais realistas e escuras cavernas pré-históricas («A Caverna»), Zamiatine dá voz e um lugar central ao homem.

Evgueni Zamiatine (1884-1937), engenheiro naval por profissão e escritor por vocação, é um dos maiores vultos literários do século XX. Famoso no Ocidente pela pioneira distopia Nós (1924), obra proibida na URSS e que inspiraria 1984, de George Orwell, tinha por tema favorito a total liberdade humana de criar, imaginar, amar e mudar o mundo. Este aspecto converteu-o num cidadão inconveniente em dois regimes despóticos: o czarismo condenou-o a um ano de exílio; o comunismo baniu-o para sempre. Inicialmente iludido com o bolchevismo, depressa foi vítima de uma das mais cerradas campanhas estalinistas de silenciamento e recusou-se a engrossar a lista de «engenheiros da alma» ao serviço do totalitarismo. Autor de contos, peças de teatro e exímio estilista, comparado a Gogol e apadrinhado por Gorki, legou-nos uma obra sem complacências com as injustiças e a opressão.

  • Título O Norte e Outros Contos
  • Tradução Nina Guerra e Filipe Guerra
  • 1.ª edição 2017
  • N.º pp. 304
  • ISBN 978-972-608-291-0